domingo, 12 de fevereiro de 2012

Um Axé pra Você

Tá bem, me rendi
Vou fazer um axé
Tem que ter ôêô
Iáiáiá, vem-vem-vem
Um gritinho qualquer

Vai falar de amor
Vai falar de ilusão
Vai falar de uma história
Que acaba em partir coração

Samba-reggae batido
Um suíngue danado
Teclado marcado
E o solinho esperado
Depois do refrão

Não vai faltar
Eu não posso esquecer
Das mãozinhas pra cima
Cabeça, cintura
Mexendo a bundinha
Pro lado e pro outro
Uh lê lê lê

E lá no chão
(E lá no chã-ão)
A galera se agita
Requebra e pula
Cantando sem saber o que
Repetindo tudo o que mando fazer

Pra que resistir?
Inventar pra que?
Vumbora fazer
Sempre a mesma coisa
Já que tá funcionando
Vou entrar nessa onda
E escrever
Um axé pra você

Um comentário:

Anônimo disse...

Muito bom