quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Andrei

nasceu Assim num sopro de vento
cabelo fiNo, arrepiado
demasiaDo amor num bebê empacotado
e quando o vi, choRei
milagrE da vida, amor sem medida
mãe e paI contemplam andrei

Um comentário:

renearaujo disse...

poeteiro vc hein rapah. :)